Quinta, 29 de Outubro de 2020 23:34
99 3199-1120
Esportes SUPERCLÁSSICO

Moto Club não perde para o Sampaio Corrêia desde de 2017

O tabu já dura mais de três anos e o histórico do maior jogo do futebol maranhense dando favoritismo aos Motenses que não perdem para bolivianos desde temporada 2017.

23/09/2020 13h58 Atualizada há 1 mês
67.563
Por: Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira Sampaio Corrêa iniciam a decisão do título do Campeonato Maranhense 2020. Além da taça em jogo o rivalidade de várias décadas e números que esquentam o chamado Superclássico. Na partida desta noite, no estádio Castelão, às 20h30, as equipes farão o duelo de número 609 e têm muitas linhas históricas para contar.

Este ano, no próprio Maranhense, os times já se enfrentaram na fase de grupo e o Papão do Norte levou a melhor. O time motense venceu o Sampaio por 1 a 0 e o resultado deu inclusive o topo na primeira fase da competição e na própria classificação geral.

Entre tantas histórias o duelo inclusive tem um tabu em cena. O Moto não perde para o Sampaio a mais de três anos. O último triunfo tricolor sobre o rival foi na temporada 2017, no dia 13 de maio, por 2 a 1, pela Série C do Brasileiro. Neste período foram cinco jogos com quatro vitórias dos motenses e um empate de 2017 até aqui.

Catalogando amistosos e partidas oficiais a supremacia do Moto Club é grande frente ao Sampaio Corrêa. São 608 jogos e 202 vitórias do Rubro-negro. Foram até aqui 182 vitórias da Bolívia Querida e um total de 124 empates. O Papão do Norte fez 739 gols no rival e o Tricolor marcou 695.

A superioridade dos números do Moto no confronto direto sobre o rival segue em jogos apenas por competições oficiais, mas a diferença diminui consideravelmente e o equilíbrio toma conta das estatísticas. Até aqui foram 316 jogos oficiais, com 104 vitórias do Moto e e 102 para o Sampaio. Um total de 110 empates. O Tricolor entretanto marcou mais gols: 348. O Rubro-negro balançou às redes 341 vezes.

Os números dessa reportagem foram disponibilizados pelo matemático Manoel Martins.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.