Terça, 29 de Setembro de 2020 08:13
99 3199-1120
Educação MARANHÃO

Sinproesemma discute reajuste salarial com o Governo do Estado antes de negociar com os professores

Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Estado do Maranhão (Sinproesemma), fugiu do sindicato nesta quinta-feira (23), para não discutir com os professores sobre reajustes.

23/01/2020 21h17 Atualizada há 8 meses
65.153
Por: Redação
Raimundo Nonato, presidente do Sinproesemma (Foto: Divulgação)
Raimundo Nonato, presidente do Sinproesemma (Foto: Divulgação)

Professores da rede estadual de ensino do Maranhão, denunciou nesta quinta-feira (23), que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Estado do Maranhão (Sinproesemma), pautou com representantes da Secretaria de Estado da Educação do Maranhão (Seduc), reajustes salariais referente ao ano de 2020. Segundo os professores, o presidente do Sinproesemma, Raimundo Nonato e membros da diretoria, infringiu o Artigo 18 do Estatuto do Sindicato, em pautar reivindicações de campanhas salariais, sem antes convocar uma Assembléia Geral com os profissionais da educação para tratar do reajuste que chega a 12,84% em 2020, estipulado pelo Governo Bolsonaro.

O Movimento de Resistência dos Professores (MRP), afirmou que a chegar a sede do sindicato para tratar dos reajustes juntamente com os professores e a própria diretoria do Sinproesemma, se surpreenderam ao serem informados que estava havendo uma reunião entre membros do Governo do Estado e o presidente do sindicato Raimundo Nonato, que durou cerca de 2 horas. Ao finalizar a reunião, a direção do sindicato saiu sem ouvir os profissionais da educação que estavam aguardando para entregar documentos relacionado a nova tabela salarial já incluso o reajuste.

Professores reunidos no Sinproesemma para debater sobre reajuste salarial com a direção do sindicato (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Salário com o novo reajuste:

A tabela com o reajuste dos professores estadual evidencia que se o governador Flávio Dino cumprir a Lei do Piso e o artigo 32 do Estatuto do Magistério, a remuneração dos professores será muito maior do que o valor que atualmente é tido como a maior remuneração do país para professores com jornada de 40 horas semanais.

Salários dos professores já com o novo reajuste segundo o documento protocolado no Sinproesemma (Foto: Reprodução/MRP)

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.