Geral Maranhão

“Viva o SUS! Viva esses anjos que deixam suas famílias para nos cuidar”, diz paciente da Rede Cuidar para tratamento de sequelas pós-Covid

No Maranhão, a rede assistencial pós-Covid foi aberta ao público no último dia 20 de abril, e em São Luís o atendimento multiprofissional é realizado no anexo do Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM).

30/04/2021 18h16
Por: Redação Fonte: Secom Maranhão
Paciente Maria de Fátima
Paciente Maria de Fátima

“Viva o SUS! Viva esses anjos que deixam suas famílias para nos cuidar”, disse de forma emocionada e enérgica a artesã Maria de Fátima, uma das primeiras pacientes atendidas pela Rede Cuidar, serviço de saúde do Governo do Maranhão, que oferece assistência para pessoas que apresentam sequelas pós-Covid. 

A artesã é uma entre as milhares de vítimas da Covid-19 que, passada a fase aguda da doença, ainda manifestam sintomas como arritmia, depressão, fraqueza, perda de memória, falta de ar, dificuldade de raciocínio, fadiga e dores intensas, diarreia crônica, perda de cabelo, distúrbios de pele, entre outros. 

Estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que uma em cada dez pessoas que tiveram a doença desenvolveram a chamada “síndrome pós-Covid”. Médicos e cientistas avaliam que as sequelas da doença já atingem mais de 1,4 milhão de brasileiros. 

No Maranhão, a rede assistencial pós-Covid foi aberta ao público no último dia 20 de abril, e em São Luís o atendimento multiprofissional é realizado no anexo do Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), onde estão disponíveis quatro salas para consultórios, setor de coleta e sala de triagem. 

Diretor administrativo do HCM, Otávio Campos

Com a Rede Cuidar, pacientes com sequelas da doença, como é o caso da artesã Maria de Fátima, têm acesso a consultas em Cardiologia, Neurologia, Pneumologia, Endocrinologia e Psiquiatria, além de atendimento multiprofissional com nutricionista, fonoaudiólogo e fisioterapeuta. E o que é melhor: após a consulta o paciente pode fazer exames na própria unidade de saúde, como explica o diretor administrativo do HCM, Otávio Campos. 

“Pode ser solicitado que ele [o paciente] faça algum exame laboratorial ou exame de imagem. Se for laboratorial, ele marca aqui mesmo no balcão, se for um exame mais complexo, de imagem, ele pode marcar na central de marcação de exames do Hospital Carlos Macieira”, detalha o gestor. 

A artesão Maria de Fátima não poupou elogios ao falar da qualidade do atendimento na Rede Cuidar. 

“O que me trouxe até aqui foi a necessidade de descobrir melhor os sintomas que eu não sentia antes. Fui muito bem atendida, desde o serviço de informação, a recepção, a triagem e o atendimento médico. Não tenho nem expressão para demonstrar o tamanho da minha satisfação em ser atendida aqui por esses anjos”, contou dona Maria de Fátima. 

Atendimento psicológico para familiares de vítimas

A Rede Cuidar tem ainda como diferencial o atendimento psicológico gratuito a pessoas que perderam entes queridos para o coronavírus. Durante o anúncio do serviço, o governador Flávio Dino – que no ano passado perdeu o pai para a doença – ressaltou a importância do atendimento para minimizar a dor da perda. 

“Isso é necessário para a recuperação, o máximo quanto possível, o máximo quanto Deus nos dá energia, de uma perda sempre intensa nos nossos lares, nas nossas famílias”, frisou Flávio Dino. 

Os serviços da Rede Cuidar também estão disponíveis em unidades da rede estadual de saúde em Santa Inês, Presidente Dutra e Imperatriz. Os atendimentos são realizados das 8h às 12h e das 14h às 18h, com agendamentos de consultas através do Whatsapp: (98) 99161-9028.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.